Matrizes Que Fazem

Sobre o Projeto

O Matrizes Que Fazem é um projeto sediado e vinculado ao Egbé Ilè Iyá Omidayê Àṣe Obalayó, que se entrelaça com a história e com a biografia de Mãe Márcia D’Oxum, que o concebeu e é responsável por sua coordenação geral, realizando atividades sociais e culturais direcionadas a crianças, jovens e adultos da comunidade do bairro de Sacramento, em São Gonçalo.

Está localizado em São Gonçalo, no Rio de Janeiro, e ocupa o histórico nº 08 da Rua Dalmir da Silva, no Centro de Sacramento. Sua pedra fundamental é a materialização como um projeto do Egbé Ilè Iyá Omidayê Àṣe Obalayó, que aponta no seu estatuto o trabalho para com a comunidade local – o Morro do Céu, a fim de criar benefícios à população.

Inaugurado como sede da Associação Cultural em São Gonçalo, em 2011, quando recebemos a Biblioteca da Ancestralidade que foi abrigada na área de nosso prédio, construído para beneficiar aulas e oficinas de cursos livre. Espaço este denominado “Espaço Vô Pedro”, homenagem ao construtor do espaço de Terreiro que fez uso de várias ações que sempre fizeram parte de nossa ideologia, tais como: uso das pedras que tinham no terreno para elaborar as encostas do espaço, o plantio e cuidar da mata nativa (mudas de árvores como Pau-Brasil, dendezeiro, mangueiras, jaqueiras etc.).

Inaugurado como sede da Associação Cultural em São Gonçalo, em 2011, quando recebemos a Biblioteca da Ancestralidade que foi abrigada na área de nosso prédio construído para beneficiar aulas e oficinas de cursos livre. Espaço este denominado “Espaço Vô Pedro” homenagem ao construtor do espaço de Terreiro que fez uso de varias ações que sempre fez parte de nossa ideologia , tais como: uso das pedras que tinham no terreno para elaborar as encostas do espaço: o plantio e cuidar da mata nativa ( mudas de arvores como Pau-Brasil, dendezeiro, mangueiras, jaqueiras etc).

Ações do Projeto

O Matrizes Que Fazem é um grande projeto matricial, que se desdobra em diversas outras ações, eventos e projetos culturais realizados no terreiro Omidayê. Confira algumas:

Projeto desenvolvido com crianças e jovens, de 5 a 12 anos, para prática e aprimoramento das dinâmicas, jogos, teatralização e com foco em atividades lúdicas que estimulam a pensar matematicamente e ajudam na prolação, mantendo o objetivo de oferecer à criança oportunidades e situações para pensar e trabalhar se divertindo. Com esta finalidade, Mãe Márcia criou um jogo que resgata o vocabulário Yorubá e inclui este idioma de origem nígero- congolesa nos cotidianos das crianças.

Projeto desenvolvido com crianças e jovens, de 5 a 18 anos, para a prática e aprimoramento da leitura que realiza várias ações (música, danças, jogos, etc). Este trabalho é realizado durante a semana em dois períodos, manhã e tarde. Há colaboradores e voluntários que somam com didáticas diferenciadas nesta jornada em prol da educação.

Traduz a influência da cultura africana em roupas, acessórios e outros artefatos de uso pessoal e decoração feminino e masculino. Com essa inspiração, traz uma proposta para a moda afro-brasileira em cores, formas e estilo, com importantes referências identitárias negras, em uma leitura cultura ancestral viva, tão rica, vasta e presente.

Também busca estimular os valores religiosos e culturais do Candomblé. O sonho comum de ambas e dar visibilidade ao universo de matriz africana em suas mais diversas expressões, invenções e formas de resistência.

Neste projeto, dez jovens estão criando histórias da mitologia africana em formas diferenciadas como tapetes e aventais criativos. A missão do projeto é contar e recontar num jogo de teatrinho histórias que saem de um livro e viram uma gostosa brincadeira. O objetivo é estimular a leitura, as conversas e a criação e recriação de histórias, em que cada um pode entrar no livro e recriar usando a imaginação. Assim eles saem numa rota entre escolas, outros terreiros e projetos sociais para contar e recontar estas histórias.

O Matrizes Que Fazem Memórias nasce para preservar a cultura dos Povos Tradicionais de Matrizes Africanas, lembrar e compreender a luta daqueles que nos ensinaram os caminhos que nos levam ao Axé, a força vital que anima e enche de significado nossos conhecimentos acerca de nossas origens, atualizadas no presente.

O memorial é a materialização do desejo de Mãe Márcia d’Oxum, inspirada pelo amor que a motiva a compartilhar os momentos vividos, assim como a contar muitas histórias que precisam encontrar a escuta e os sentidos de muitas pessoas para que se mantenham vivas, em movimento.

O projeto foi selecionado através de edital público, para receber o patrocínio da Petrobras, que permitiu a realização de trabalho mais amplo em capacitação e geração de renda com o oferecimento de oficinas diversas para pouco mais de 750 jovens e adultos, no biênio 2010-2012, com consequente melhoria na renda para os alunos.

Estrutura

O Terreiro possui uma área construída e o espaço Matrizes ocupa três salas de aula (com rampa), uma área externa com bebedor e banheiros (feminino e masculino). Inaugurado em 10 de Fevereiro de 2010, o Matrizes Que Fazem transformou-se rapidamente em uma referência cultural importante em São Gonçalo. Seja por suas ações ou práticas ligadas à cultura ou religiosidade, abraçamos o recontar e refazer práticas que estão ficando apenas na memória dos mais antigos e que se perderiam, se não forem postas em prática.

Nosso pensamento abraça a modernidade com toda a sua tecnologia, entretanto, não podemos deixar que a cultura que preservou o sagrado seja ignorada. Assim, festejar e praticar várias ações e atividades recriam e salvaguardam a nossa cultura Afro. O trabalho desenvolvido no projeto Matrizes Que Fazem Geração de Renda, revela que as práticas dessas oficinas criaram um nova referência de geração de renda onde não se via isso (achavam que locais de religião não se tinham foco de renda somente de culto).

Siga-nos nas Redes Sociais

Para ficar por dentro de todas as novidades!